Falando Abertamente (first time) ...

Thalía pede apoio para comunidade gay

Segundo o blog Vida de Celebridad, a cantora Thalía criticou o seu conterrâneo, Eduardo Verástegui porque o ator está apoiando nos Estados Unidos a ‘Preposición 8’ através da organização ‘Viva La Familia’, para evitar que se legalizem matrimônios entre pessoas de mesmo sexo.

Assim como Paulina Rubio, que também foi contra Verástegui acusando-o de ser um ignorante, a ex diva das telenovelas, pediu apoio da comunidade gay. A mesma que tem apoiado durante toda sua carreira.

Fonte: La Botana

Tradução: Mônica A.F.

http://comunidadethaliaoficial.blogspot.com/2008/10/thala-pede-apoio-para-comunidade-gay.html

O que é a Prop 8, ou Proposition 8?

É uma lei que entrou em vigor no estado da Califórnia proibindo os casamentos entre pessoas do mesmo sexo. Essa lei foi aprovada num plebiscito, as pessoas votaram e num estado dito liberal como a Califórnia, com São Francisco dentro e tudo, a lei foi aprovada.

O referendo Proposition 8 foi promovido pela religião mórmon e pelos Knights of Columbus (Cavalheiros de Colombo, uma instituição super conservadora, católica, que ajuda muitas pessoas em situações difíceis, viúvas). Os Cavalheiros, portanto, são tidos como muito benemerentes. Vou usar uma frase do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que vi na revista Época, para terminar a reflexão acerca desse triste episódio: "Porque, na hora de pagar imposto, ninguém quer saber se o sujeito é homossexual ou travesti. Na hora de votar, nunca vi um candidato chegar na fila e dizer: 'Olha, eu não quero o seu voto". O discurso do presidente mostra que tanto aqui, quanto nos Estados Unidos, os gays podem se juntar e viver amontoados, mas não poderão jamais ser classificados como união familiar. Assim não dá!

(my first time...)

Nunca fui do tipo de levantar a bandeira ou carregar um crachá dizendo que sou isso ou aquilo. Também acho que ninguém é obrigado a me aceitar, mas parto do princípio de que respeito é tudo.

Meu Pai me ensinou isso, quando assumi a minha homossexualidade a ele foi uma reação tranquila, sem stress. Até mesmo porque seria hipocrisia da parte dele dizer que não sabia.

E ele me passou uma segurança tão grande, dizendo que sabia dos princípios que tinha me passado e que apenas faria um pedido: que eu me/o respeitasse!

E eu aceitei, eu respeito e ele e ele me respeita. Não faço nada que possa fazer que ele tenha que gritar por mim, porque quando meu Pai me pede respeito esta falando de algo muito mais além de se ofender com meu possíveis trejeitos ou atitudes em público que poderiam ferir sua masculinidade, mas sim como "os outros" trariam isso até ele e pior, como ele reagiria perante tal ofensa à mim (não a ele). Ele disse que viraria bicho ao ver alguém me ofendendo!

Ofensa, essa é uma palavra que não deveria estar nos dicionários, não deveria estar nos nosso dia à dia, penso que algumas pessoas perdem o seu tempo pensando como os outros deveriam viver, como cada um deveria ser, transar, gozar ou com quem gozar.

Devíamos trocar a palavra ofensa pelo respeito.

Chegamos ao ponto de pessoas se preocuparem mais com a sexualidade dos outros do que com os povos famintos da África ou com o aquecimento global.

Na boa, vamos achar que fazer, vamos deixar a futilidade de lado Sr. Eduardo Verástegui, alias o Senhor poderia arrumar o que fazer.

Ah! Desculpe o Senhor precisa de um assunto polêmico para aparecer na mídia, pena!

*

*

*

Ellen DeGeneres Slams Sarah Palin On Gay Marriage--Vote NO on Prop. 8

Comentários

Postagens mais visitadas