quarta-feira, 21 de abril de 2010

Intimidade? Intimidade é uma merda...

O que seria ter o sentimento de intimidade para uma pessoa? Seria chegar já abrindo a geladeira ou bater um papo enquanto a sua amiga faz um xixizinho?
Tem pessoas que confundem intimidade com o termo abusar, aproveitar-se... Quando na verdade a relação de intimidade deve ser comparada com outras palavras, tais como: confiança, familiaridade, privança...
Às vezes tenho medo de dar intimidade, como se fosse deixar alguém entrar, abrir as portas dos meus mais secretos armários, vasculhar e descobrir coisas que até eu mesmo desconheço. E não sou só que penso assim, várias pessoas já me disseram que não suportam pessoas invasivas, pessoas que depois de dois minutos de convivência já “pensam” que são amigos de longa data e pior, que são extremamente intimas. E pensar que muitas vezes essas pessoas não tomam essas atitudes por maldade – lembrando que a primeira impressão é a que sempre fica.
Daí emolduramos essa visão hostil, agressiva e pregamos em um lugar para que todos possam ver.
Me pergunto se não sou assim, se as pessoas que estão diariamente do meu lado não se sentem literalmente invadidas com a minha presença. Nos Arianos, sempre estamos nos espalhando, tomando território, queremos ser sempre acariciados, paparicados – sim admito.
Claro que essa tal de intimidade da o direito de você dizer o que te incomoda, perturba.
Por isso vocês podem me cutucar e me darem um chega pra lá (de leve, é claro)!
Ao mesmo que essa relação (denominada nesse texto como algo fatídico) que tem os seus contrapontos, ela também me traz bons motivos para sermos íntimos de algumas pessoas, termos o sentimento de intimidade e poder saber que é algo recíproco é muito importante/gratificante.
Dormir junto, trocar de roupa, conversar na porta do banheiro, beber do mesmo copo, emprestar uma roupa, contar segredos, ouvir coisas nunca antes ditas, dar e receber carinho...
Enfim, ser intimo é ser confiante, ser antes de tudo: é ser amigo, ser alguém que tem acesso livre a vida de pessoas – sem portas fechadas, pelo contrario: sempre braços aberto.
Ah! Vamos retirar a MERDA da intimidade? Respondo: Não!
Intimidade é tudo!

Nota: O porquê dos atores (produção e alguns amigos) desejarem uns aos outros muita "merda" antes de se entrar no palco?  
Para tanto algumas origens: "merdeux", em francês, significa "pessoa insignificante, sujo de merda" (pronuncia-se "merdê" daí para a passagem para "merda" é um “pulinho”).
 
Alguns poderiam estar perguntando, então como se diz merda em francês?  “merde” = merda (pronuncia-se mérd). Um detalhe: na época em que as pessoas íam ao teatro de carruagem em França, tinha sempre um rastro dos cavalos na porta do teatro, sendo assim este era sinônimo de casa cheia. Os atores passaram a  desejar "muita merda" pois significava que havendo muita merda na frente do teatro era  sinal de que teriam bastante público;  muitos dizem também: “quebre a perna”! O “Boa Sorte” (do francês “sort” = sorte) é visto como tabu, pois se desejando “merda” tudo que é de ruim já foi desejado o resto poderá “ser lucro” (mesmo se algo não sair bem na apresentação); enfim se desejando “merda” por conseqüência tudo irá acabar “bem”.

Nenhum comentário: