terça-feira, 15 de junho de 2010

Dia e noite

Caminho em busca de algo sem nome, sem aspecto e sem circunstâncias.
Busco o imbuscável, irrealizável e com certeza imaginável.
Quero sonhar e logo realizar sem a seguinte procedência: deixar de ser inexistente.
Louco seria pensar que posso tudo quando pra você eu não posso quase nada e isso gera barreira e muita dor de cabeça.

(Estou cansando...)

Hoje eu posso sonhar acordado, sonhar em movimento.
Sonho em linha reta como se eu caminhasse em direção ao nascer do sol em busca da vida antes sem muito sentido.
Busco a realização do que você não pode ter e que por frustração não me deixa seguir o caminho de volta para o meu eixo que Astro Rei me trilhou.

(Minhas pernas e costas doem...)

Não quero mais ver nuvens no céu e nem trovoadas que assopram medo ao pé do meu ouvido. Apenas quero ouvir o sussurro do sono de uma criança, a brisa da praia ao entardecer e eu e você em paz, amigos, cúmplices de uma vida errada e antes não projetada.
O sol já se foi e eu sigo buscando o que a razão não me permite descobrir e nem explicar que o tempo cuidará de trazer em breve para o meu abraço de braços cansados e felizes por saber que a noite amiga esta me ajudando a sonhar e assim poderei realizar.

(Preciso dormir já é tarde...)

Louco para poucos e forte para muitos sigo te querendo bem minha razão doentia e perspicaz.
O sol já vai nascer de novo por isso solte agora a minha mão e me deixe tentar dormir e sonhar com o tempo de quando era só eu e você.


Bom agora eu rezo, digo amém e então...

Boa noite Mãe já é dia!

Um comentário:

Anônimo disse...

Muito bom seu texto. Parabéns.
Max