Sentado, deitado e com o coração solitário

Sigo pensando como será o dia em que a poeira sentar e qual será a sensação do sol pairando sobre os dias que passam e que se perderam em um passado remoto, tranquilo e que hoje não só se faz presente como é um "passado ainda presente".
Como fazemos para organizar os sentimentos, como faremos para seguir um caminho sem pré-definições? Muito difícil. 

Não me declaro infeliz!
Preciso olhar e perceber que a felicidade esta do lado de fora da minha porta e o que eu faço/como eu faço para deixa-la entrar? Como fazer parecer ser(assim) tão fácil. Não estou declarando infelicidade, estou sim deixando claro que somos o que queremos ser e eu não quero esse "antônimo" de positividade ao lado do meu nome.
Estou claramente dizendo que estou pronto para ser completo de novo (tudo no seu tempo/aos poucos).

Eu percebo que tenho a felicidade em minhas mãos, mas prefiro sair despercebido e sozinho.
Prefiro viver o meu momento completamente sozinho - sigo sentado, deitado e com o coração (tranquilamente) solitário por que assim eu quero e por que as coisas devem correr conforme a maré.

Não posso te mentir que tenho sentido algumas oscilações, mas não me vejo me reinventando nesse sentido - mais um trabalho para o carneirinho que teima em arder em brasa! 

Estou começando a gostar de surpreender a mim mesmo!
Bom isso...

O que me falta?
Viver mais, dormir mais, comer menos e começar a surpreender você!

Ps. Comece a perceber, olhar os detalhes e lembre-se que "I'll be right next to you"...

Comentários

Postagens mais visitadas