sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Grandes caminhos/Pequenos passos!


A indiferença diz por si o que eu realmente não tenho forças pra falar, o silêncio dita por si o que eu realmente preciso dizer, fazer ou apenas calar o vazio que habita dentro desse peito fechado a sete, quatorze ou vinte e oito chaves...

Como desamarrar nós?  Como abrir portas enferrujadas? Que por sua vez, se forçadas podem se quebrar e daí sim teremos danos irreversíveis. A melhor opção agora é afastar-se de coisas prejudiciais, fantasiosas e dar mais tempo e consequentemente deixar de lado... Tempo, eu disse tempo? Mais tempo?

Calma! Você já chegou até aqui... A idéia agora é tranqüilizar-se e assim logo poder colher os louros de todas as batalhas (até agora vencidas).

Deixar de lado?

Não sou tão insensível ao ponto de ser igual a você, eu apenas preciso ser igual, mas de uma forma bem mais superior e sutilmente diferenciada.

Lembre-se: “grandes caminhos são feitos de pequenos/delicados e singelos passos”...

Façamos assim, continue trilhando nessa estrada e observado a paisagem que se faz presente diante dos teus/meus/nossos olhos.

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Palavras terminadas em: E


Pega na minha mão, conversa comigo... Vem e me diz o que realmente acontece (eu não trouxe a minha bola de cristal), preciso ouvir mais - e melhor, eu preciso ser tocado com palavras quentes, vibrantes e (silenciosamente) sinceras. Definitivamente eu preciso!

Não quero meias palavras, já passei da idade de gostar do mistério, de incógnitas – quero o sumo da verdade, todinho ao ponto de saber diferenciar o real do imperfeito.

Te quero imperfeito
Pega no meu braço e fala na minha frente os teus medos – somos humanos, poderemos ser siameses sem parecermos almas gêmeas, por que isso seria buscar a perfeição... Quem disse que sou perfeito ou que eu queira ser um??? Não, na verdade eu te quero errado, errante e mesmo assim ciente de que é capaz de melhorar.

Melhorar?
Não sei não...

To preferindo a realidade, a verdade, a sinceridade, a velocidade, a capacidade, a amizade com muita honestidade, etc, etc, etc,  e por DEUS menos “barbaridades” nesse novo ano... PLEASE!!!

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

Ricky Martin lança clip contra o preconceito;

A música The Best Thing About Me Is You foi escrita em parceria com a cantora inglesa Joss Stone Natalia Jimenez
Rio - Ricky Martim divulgou através do seu Twitter o clipe de sua próxima música de trabalho: "The Best Thing About Me Is You". A música foi escrita em parceria com a cantora inglesa Joss Stone, que se apresentou no Brasil em outubro do ano passado no festival SWU.
O single faz parte do novo álbum de inéditas do cantor, "Music+Soul+Sex", que será lançado mundialmente no dia 1º de fevereiro.

Entre as trocas de roupa, Ricky aparece com o símbolo de igualdade tatuado no peito.

Participação de Joss Stone

Versão em espanhol - Lo Mejor De Mi Vida Eres Tu
Participação de Natalia Jimenez

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Aquém do que eu esperava

Eu consigo ver uma luz no fim do túnel e essa brecha pode ser um sinal... Talvez, ao invés de eu ficar lamentando o pouco espaço, a falta de ar, as poucas possibilidades... E dai sim, talvez eu me encontre “aqui dentro”... Mas eu não quero, preciso sair!

Se eu me espremesse e tentasse encontrar a saída por onde o sol entra, quem sabe.

Porque às vezes a melhor saída esta aonde você menos espera, optar por olhar ao redor ou nesse caso (simplesmente) olhar para frente. Na minha atual conjuntura não posso olhar para traz, porque ao buscar uma saída preferi buscar a luz, ao buscar a luz me deparei com a esperança... E logo, a saída para um novo recomeço já parecia mais com a realidade.

Ali atrás eu não tinha um horizonte, eu não tinha um caminho a seguir... Somente a escuridão, frio, tristeza e uma pressão angustiante. Sinto que as paredes estão se fechando rápido de mais, me sinto apertado, sufocado e eu não tenho força para empurrar, meu braços doem. Um feixe de luz quente me cega, mas ao mesmo tempo esses raios de sol irão me ajudar e assim me guiarão para fora - o mais rápido possível.

Não consigo me movimentar com facilidade, mas eu preciso; hoje mais do que nunca sair o mais rápido possível dessa “prensa gigante” que insiste em me espremer contra suas frustrações, receios e insatisfações agudas.

Percebo que estou mais perto da saída, já posso sentir a maresia, já posso sentir a liberdade e o prazer de gozar a falta que esse “atual você” não me faz.

Estou saindo, estou quase lá...
Não sinto mais frio, não sinto mais essa morbidez...

É tão bom viver, respirar e a partir disso vou trabalhar cada vez mais os meus pensamentos para esquecer que tudo foi aquém do que eu esperava.


Ps. Não desisti de você, eu apenas preferi me proteger diante de todas as situações, insinuações e projeções.