Aquém do que eu esperava

Eu consigo ver uma luz no fim do túnel e essa brecha pode ser um sinal... Talvez, ao invés de eu ficar lamentando o pouco espaço, a falta de ar, as poucas possibilidades... E dai sim, talvez eu me encontre “aqui dentro”... Mas eu não quero, preciso sair!

Se eu me espremesse e tentasse encontrar a saída por onde o sol entra, quem sabe.

Porque às vezes a melhor saída esta aonde você menos espera, optar por olhar ao redor ou nesse caso (simplesmente) olhar para frente. Na minha atual conjuntura não posso olhar para traz, porque ao buscar uma saída preferi buscar a luz, ao buscar a luz me deparei com a esperança... E logo, a saída para um novo recomeço já parecia mais com a realidade.

Ali atrás eu não tinha um horizonte, eu não tinha um caminho a seguir... Somente a escuridão, frio, tristeza e uma pressão angustiante. Sinto que as paredes estão se fechando rápido de mais, me sinto apertado, sufocado e eu não tenho força para empurrar, meu braços doem. Um feixe de luz quente me cega, mas ao mesmo tempo esses raios de sol irão me ajudar e assim me guiarão para fora - o mais rápido possível.

Não consigo me movimentar com facilidade, mas eu preciso; hoje mais do que nunca sair o mais rápido possível dessa “prensa gigante” que insiste em me espremer contra suas frustrações, receios e insatisfações agudas.

Percebo que estou mais perto da saída, já posso sentir a maresia, já posso sentir a liberdade e o prazer de gozar a falta que esse “atual você” não me faz.

Estou saindo, estou quase lá...
Não sinto mais frio, não sinto mais essa morbidez...

É tão bom viver, respirar e a partir disso vou trabalhar cada vez mais os meus pensamentos para esquecer que tudo foi aquém do que eu esperava.


Ps. Não desisti de você, eu apenas preferi me proteger diante de todas as situações, insinuações e projeções.

Comentários

Postagens mais visitadas