Grandes caminhos/Pequenos passos!


A indiferença diz por si o que eu realmente não tenho forças pra falar, o silêncio dita por si o que eu realmente preciso dizer, fazer ou apenas calar o vazio que habita dentro desse peito fechado a sete, quatorze ou vinte e oito chaves...

Como desamarrar nós?  Como abrir portas enferrujadas? Que por sua vez, se forçadas podem se quebrar e daí sim teremos danos irreversíveis. A melhor opção agora é afastar-se de coisas prejudiciais, fantasiosas e dar mais tempo e consequentemente deixar de lado... Tempo, eu disse tempo? Mais tempo?

Calma! Você já chegou até aqui... A idéia agora é tranqüilizar-se e assim logo poder colher os louros de todas as batalhas (até agora vencidas).

Deixar de lado?

Não sou tão insensível ao ponto de ser igual a você, eu apenas preciso ser igual, mas de uma forma bem mais superior e sutilmente diferenciada.

Lembre-se: “grandes caminhos são feitos de pequenos/delicados e singelos passos”...

Façamos assim, continue trilhando nessa estrada e observado a paisagem que se faz presente diante dos teus/meus/nossos olhos.

Comentários

Postagens mais visitadas