terça-feira, 29 de março de 2011

Deputado associa na TV namoro com negras a 'promiscuidade'


Ele respondeu à indagação sobre como reagiria se filho namorasse negra.
Nesta terça, Jair Bolsonaro (PP) disse que não entendeu a pergunta.




O deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ) afirmou que não discutiria "promiscuidade" ao ser  questionado pela cantora Preta Gil, no programa "CQC", da TV Bandeirantes, sobre como reagiria caso o filho namorasse uma mulher negra.
A pergunta, previamente gravada, foi apresentada ao deputado na noite desta segunda-feira (28), no quadro do programa intitulado "O povo quer saber": "Se seu filho se apaixonasse por uma negra, o que você faria?"
Bolsonaro respondeu: “Preta, não vou discutir promiscuidade com quer que seja. Eu não corro esse risco, e meus filhos foram muito bem educados e não viveram em um ambiente como, lamentavelmente, é o teu.”
Após a exibição do programa, Preta Gil postou no Twitter que processaria o deputado. "Advogado acionado, sou uma mulher Negra, forte e irei até o fim contra esse Deputado, Racista, Homofobico, nojento".
Procurado pela reportagem do G1, Bolsonaro disse por telefone nesta terça-feira (29) que não quis ofender a cantora Preta Gil, filha do ex-ministro e compositor Gilberto Gil. O deputado afirmou que não compreendeu a pergunta feita por ela e por isso respondeu daquela maneira.
"O que eu entendi, na pergunta, foi 'o que você faria se seu filho tivesse relacionamento com um gay'. Por isso respondi daquela maneira", disse Bolsonaro. "Não sou racista. Apesar de não aprovar o comportamento da Preta Gil, não responderia daquela maneira." Apesar disso, o deputado disse que não vai telefonar para a cantora para explicar o mal-entendido.
A respeito de eventuais questionamentos na Câmara dos Deputados, ele afirmou que explicará o "equívoco" a qualquer parlamentar que queira questioná-lo.

Gays
Bolsonaro não retirou as demais respostas exibidas a perguntas formuladas no programa. O deputado disse que os filhos dele não são gays porque tiveram uma boa educação.

"Eles tiveram uma boa educação. Eu sou um pai presente, então não corro esse risco [de ter um filho gay]".

Questionado no programa sobre como reagiria caso se o filho fosse usuário de drogas, Bolsonaro disse: "Daria uma porrada nele, pode ter certeza disso".
O deputado disse ser contra as cotas raciais adotadas em várias universidades brasileiras. Bolsonaro afirmou ainda que os presidentes do período militar são seus "gurus" na política, e que, se dependesse dele, Dilma Rousseff  "jamais" seria presidente da República.
"O passado dela é de sequestros e roubos", disse, referindo-se à participação de Dilma em organizações armadas que combateram a ditadura.

quarta-feira, 23 de março de 2011

Perdão? Perdido...

Oi, passei pra te dizer que estou por aqui ainda... não consigo sentir o teu carinho, apenas a falta que você faz e (sinto) que eu não soube dar o devido valor. Tantas ligações perdidas e nenhuma resposta, o que me resta?
Preciso dividir o meu tempo, minhas histórias e angústias... Perdão?

Não! Eu não sei como pedir... Devo pedir?
Me dói, me corrói não ter você aqui dividindo todo esse MIX comigo.

Não sei se caminho em tua direção ou se fico aqui estagnado esperando um sinal de vida.
Lebre-se da frase dita: "se eu tenho você tem..."

Eu não tenho mais você aqui!

quarta-feira, 2 de março de 2011

Justificativas


Parque Aldeia do Imigrante - Nova Petrópolis - RS 26/02/2011
Tenho cinco justificativas para todo esse meu desejo em deixar de sentir tudo isso:

Eu precisava fugir.

2ª Eu precisava me esconder.

Eu precisava parar de deixar você me fazer pensar.

Eu precisava me curar ou aprender a lidar com coisas que definitivamente são minhas, só minhas – até que alguém me prove o contrário.

(Ainda não estou curado/ainda não aprendi nada)

...

Ps. Fui ali pegar um lenço e já volto...