sexta-feira, 20 de maio de 2011

Comecei/Deixei

Comecei a sorrir com os olhos,
Comecei a sentir com o ouvido.

Deixei de sentir por sentir,
Deixei de perceber o superficial.

Deixei de ter preconceitos,
Comecei a virar com mais facilidade as páginas.

Comecei a querer mais de mim,
Comecei a deixar você ir.

Deixei de sentir você aqui,
Deixei você partir.

Deixei de vislumbrar o que é "perceptível",
Comecei a admirar com o coração.

Deixei você se permitir,
Deixei você partir.

Deixei de começar a sentir por sentir?
Comecei a me permitir ser feliz!

segunda-feira, 16 de maio de 2011

Até que afim eu contei ESTRELAS!


Lembram quando eu comentei que deixaria de contar "bits" e começaria a contar estrelas? Foi exatamente isso que aconteceu ontem (13/05), sinceramente eu não esperava - na verdade eu já tinha aprendido a lidar com tudo isso (mesmo porque eu já estou em outro ritmo/sintonia) e não restava dentro de mim nenhuma expectativa. Eu já tinha decidido a organizar tudo, limpar as gavetas e todas as incertezas que estavam debulhadas sobre a minha mesa e que com certeza não seriam preservadas.

E fui re-organizando tudo e com isso consequentemente precisei me livrar de coisas que deixaram de ser prioridade. Fui até você e entreguei tudo, fiz questão de não ficar com nada que me ligasse ao tempo que eu ainda acreditava que os tais "bits" eram ou se faziam mais importantes do que o toque, o cheiro e calor. Mas como o mundo insiste em girar sem querer saber se você precise que tal coisa aconteça dessa ou de da forma que for: eu me permiti - foi exatamente o que me aconteceu, de repente os tais insuportáveis "bits" se transformaram nas mais lindas e brilhantes estrelas. Por instantes, eu esqueci do passado, do ontem/before -  nada mais importava, eu só precisava pensar naquele exato momento - mesmo porque ele seria (será) único.

Às vezes projetamos algo, organizamos milimetricamente tudo... Às vezes temos a sorte de alcançarmos com sucesso o nosso objetivo... Outras vezes nos perdemos entre frustrações, mas isso era antes, quando os insuportáveis "bits" se faziam presente, hoje só o brilho das estrelas precisam estar diante dos meus olhos, bem na minha frente, aonde eu possa tocar e me fazer/sentir vivo.

A realização tem som de quero mais (SIMMM), mas a tranquilidade de saber que a liberdade é/e precisa ser respeitada é maior. Sigamos assim, sintonizados pelo acaso e pelo carinho que se faz presente.

Ah, você!
Ah, desejo sem nome e sem descrição definida...
Siga o caminho das estrelas, longe... longe, aonde os meus olhos não te alcancem mais,
mesmo sem você aqui a saudade se transforma em abraço!
No more "bits", I just remember a good moment!

Para poder entender essa minha desistência por contar BITS leia o post

segunda-feira, 9 de maio de 2011

Saída à francesa!

Percebi que o tempo é extremamente audaz. Determinado, ele entrou sem cogitar foi trazendo respostas. Com todas essas informações em mãos o que me suficiente agora é sentar e descobrir que rumo seguir: posso deixar tudo como esta, posso também definir os meus interesses right now  e sair à francesa – que não seria muito o meu estilo, sem antes dizer o que realmente penso sobre todos os tópicos trazidos até mim...

Sabendo que o Guerreiro (aqui) não se deixa vencer assim tão fácil, que tudo que se passou e que aqui se faz presente - eu largo tudo... Não me importo mais se esse rio a ser atravessado é o mais límpido e cintilante - não importa. Essas águas correm sem ritmo, sem vida, sem perspectivas/gana de algo melhor.


Sigo em direção à porta, sem olhar pra traz, não que eu não me importe, mas hoje gosto bem mais desse meu mundo... Por isso levo comigo a vitória diante da tua incapacidade de querer ser feliz – melhor, não que você não queira a felicidade, você mesmo diz aos quatro ventos que já a tem/pelo menos representa isso, mas essa tua garantia de felicidade infelizmente (redundância crua aqui né) não se iguala a minha vida.


Sobre o rio que corre rápido, cintilante e límpido só tenho as palavras da Clarice:
“O bonito me encanta, mas o sincero... Ah! Esse me fascina…”


Te liga...
É você quem esta perdendo!

domingo, 8 de maio de 2011

Bagunça/Mãe/Sonhos e Infância

Eu estava pensando sobre a minha infância, vou tentar resumir pra vocês: bem, eu não tinha brinquedos novos eu tinha brinquedos que eu ganhava das casas aonde a minha mãe trabalhava como "faxineira", eu tinha de tudo um pouco... playmobil, lego, carrinhos, jogo de botão...

Mas eu não usava esses brinquedos na sua forma mais apropriada, eu criava um mundo todo diferente... Com pregadores de roupa eu montava cidades, paredes e ruas enormes e fazia toda uma história que até Spielberg invejaria - em outro momento criava um programa de TV com os meus bonecos de playmobil, com as goleiras do jogo de botão eu fazia as bancadas do meu Jornal Nacional... tinha até cameramens, era tudo muito rico em detalhes.

Ah, mas eu também erra um exímio mecânico, adorava desmontar coisas e remontá-las - problema era quando os carrinhos não funcionavam mais, será que eram as peças que sobravam? Acho que na verdade eu queria mesmo era saber o porque das coisas - um dia eu queria tomar leite quente, não tínhamos microondas, então coloquei o leite na cafeteira... Nem preciso dizer que a coitada da cafeteira (novinha) foi pro lixo.

Eu era um guri muito recluso, como os meus pais passavam o dia inteiro na rua o que me restava após a escola era ver televisão e inventar brincadeiras - morria de medo do Freddy Krueger no cinema em casa do SBT, passava noite com medo de dormir e de repente ele aparecer nos meus pesadelos.
 
Dormir? Isso sempre foi um problema, como eu não tinha o que fazer dormia a tarde e por consequência perdia o sono da noite. Deixava todo mundo dormir e ligava a TV e lá estava o , certa vez ele disse que adorava comer feijão gelado... #PHUDEU!

Lá estava o gordinho assaltando a geladeira a traz de um pote de feijão e para o meu deleite era uma descoberta maravilhosa - delícia!!! O problema era explicar a falta do tal feijão...

Simplificando, dentro do meu mundinho eu posso dizer que foi uma infância feliz e tranquila, o problema era acordar desse meu paraíso de vidas, invenções e descobertas minhas... Era complicado e triste não ter com quem brincar ou sei lá - não ter uma atividade alternativa? Digamos que eu nunca tivesse sentido falta de uma coisa que eu nunca tivera.

Tudo é válido, tudo é muito perceptível...
Os sonhos, lembranças e a inocência continuam aqui... Trago tudo comigo!

A hora da tua chegada!
Até mesmo do cheirinho da minha mãe, da tua comida, do prazer de ver você xingando a personagem ruim da novela, dizendo: "odeio essa atriz, ela é muito ruim... nunca gostei dela". Sendo que na outra novela dela, você dizia que adorava ela... Kkk!

Mãe, o engraçado é eu sentir a tua falta tendo você aqui (não tão) perto. Faz tempo que eu não tenho conseguido te dizer que T-E-A-M-O, mas o meu orgulho pela tua força, coragem e garra seguem gritando aqui no meu peito.

Mãe, me da um abraço no teu dia?
Feliz dia das minhas muitas Mães...

segunda-feira, 2 de maio de 2011

Analisando


Tenho uma mania  muito séria de analisar as pessoas e suas situações. Gestos, o modo de caminhar, tom de voz... Resumindo, nada passa despercebido e com isso vou conhecendo cada um a sua intimidade - o melhor é que muitas vezes essas pessoas não percebem que estão sendo analisadas. Deixo claro que não faço isso por desconfiança, mas também tenho que admitir que isso me serve como proteção.

Não deixo que você adentre na minha vida ou o meu espaço sem que com isso eu já tenha todo um relatório nas mãos... Você precisar ter muito cuidado, pois certas coisas podem ser usadas contra você no meu tribunal(risos)!

Vou tentar resumir nesse pequeno texto confuso de minha autoria - sim, espero que VOCÊ entenda o que eu quero dizer.

"Observo cada movimento seu e sem movimentos bruscos eu caminho lentamente na tua direção. De olhos fechados você se "despe" de verdades entre mentiras e assim vou conhecendo mais desse seu "mundo quase que surreal" diante dos meus dias quase que monótonos.

A verdade surge diante dos meus nos teus olhos, a seriedade nasce diante das minhas palavras sobre as tuas... Confusões existem, mas para um desbravador (EU) nada melhor do que uma guerra de sentimentos!

Sigo mais vivo do que nunca"...


Então?!
Cuidado ao gesticular, ao falar, ao omitir ou até mesmo quando for me mentir...


Arianos odeiam serem feitos de idiota!