terça-feira, 26 de julho de 2011

Uncharted

Saí sem rumo, sem expectativas eu fui desviando entre uma e outra pessoa nessa multidão que se tornou os meus dias - dias esses que se faziam pequenos e insignificantes na tua ausência, mas que hoje (ainda pequenos) são mais intensos ao saber o que você realmente deseja.

Agora estamos aqui...
Olhos nos olhos e eu te pergunto: o que você quer?!

O que você quer, do que você realmente tem vontade de dizer com os olhos quando acorda? Será aquele "bom dia" com voz de quem acordou que esta engasgado ou aquele beijo às 7hs. da manhã sem mesmo ter escovado os dentes... Sem nojo, mas sim a mais pura prova de carinho e que traz consigo um gostinho quente da paixão.

Me diz o que você quer...
Assim sem pensar!

Me diz que você quer correr na hora do almoço para ouvir a minha voz no telefone ou para me surpreender numa mesa de restaurante com a tua presença desavisada.. Me deixa sentir que você quer me roubar um beijo ou também pode dizer no silêncio de uma piscadela que me ama, que não vê a hora de chegar em casa para ficarmos juntos.

Ah, o que eu quero?!
(uma pausa em risos)

Eu quero o desconhecido, quero ser surpreendido todos os dias, quero renascer todos os dias e morrer todos os dias ao teu lado - mesmo que isso me custe uma vida inteira/ou um terço dela. Quero ser cuidado ao mesmo tempo em que eu zelo o teu sono e mesmo assim me sentir/sentindo teu na minha/tua vida.

Quero aquela tão sonhada singularidade plurificada...
Quero tanto e ao mesmo tempo o mais simples...
Quero o teu melhor somando no atual melhor de mim!

A paixão já me corroeu e por isso, hoje eu só quero amar descontroladamente!



Sara Bareilles

Uncharted

sexta-feira, 22 de julho de 2011

HoraDeVOTAR

Pessoal, vamos fazer valer esses 27 mil acessos,
vamos votar muito!

Agradeço o carinho e o incentivo de todos!

Clique aqui para votar!
Aqui fica o meu muito #obrigado!

segunda-feira, 18 de julho de 2011

Quem é anjo aqui?

Em certos momentos o Marcos Moraes certinho e prudente me irrita... Não que eu aja assim ou daquela forma pensando no que você irá pensar ou avaliar, me refiro a minha essência e ao que eu prezo como princípios morais e éticos.

Estar assim ligado e centrado me faz perceber que logo o teu mundo se desprende do meu como que automaticamente e sem perceber deixamos de esta sintonizamos - aliás, já estivemos?

(senta lá e fica Cláudinha)

Mas quem disse que eu sou um anjinho de assas feitas de plumas branquinhas e fofas – muito pelo contrário, adoro correr riscos e me sentir quente diante o perigo. O meu instinto ariano pede isso quase que diariamente... Pratico na calada da noite, corro nas pontas dos pés e sutilmente sem movimentos bruscos eu agarro a minha presa que esta ali – desprevenida e entre mordidas e mãos suadas eu a prendo por segundos e logo (te) solto para assim ver qual será a tua reação diante de tal confusão.

Gosto da expressão do teu rosto, cada movimento por mim é milimetricamente avaliado... Ah! Uma pequena observação: Jamais morda os lábios isso sempre te entrega!

Faço com segurança!
A minha moralidade exige que eu me proteja de eventuais desencontros com o meu EU – todo mundo perde a ética uma vez que outra... Mas eu preciso estar firme e seguro para não perder o meu foco.

O que você precisa entender é que eu não me permito te machucar, ferir ou danificar os teus anseios – apenas observe que às vezes os meus olhos não dizem exatamente o que eu realmente estou tagarelando boca a fora!

O tempo me ensinou a dizer o que você quer ouvir e não o que (necessariamente) eu estou sentindo.

Isso não se chama cinismo, mas sim: #autodefesa!

Sigo aqui em busca do MEU melhor - seja lá onde ele estiver!

quarta-feira, 6 de julho de 2011

Sem sentido

Olhos que trazem o som da felicidade, braços que se distraem com a visão de um dia ensolarado e pés que podem sentir o gosto da terra recém molhada pelo sereno. Na verdade eu posso sentir com todo o meu corpo e trazer diretamente para o meu coração as mais lindas e saudosas lembranças.

Poder sentir o cheiro do perfume de alguém que você já não vê há séculos ou ouvir o som da voz sem ao menos esse tal "alguém" estar por perto - algo quase que surreal.


Surrealismo ou pura imaginação?
Não sei! Cruel mesmo é querer saber se a outra parte sabe que (ainda) é bem quista - que ainda se faz presente sem estar realmente presente... Entende? Ah, claro que também precisamos saber se é recíproco - não me diz que não, precisamos SIM alimentar o nosso ego!


Engraçado que  mesmo depois desse último estrondo eu sigo aqui firme, forte e feliz por ter de volta os meus "sentidos" aguçados...


Sentir por sentir, sentir por instantes e logo deixar de sentir...
Não, não...


Eu quero mais!
Quero me sentir pleno por poder carregar sentimentos bons...


#justfeel



Santana

Just Feel Better