quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

Estamos Fechados


Ainda não consigo abrir a porta, às vezes eu abro-a suavemente porque a curiosidade mata esse ariano... Mas o medo fortalece a minha mão ao ponto de torcer a maçaneta não deixando que ninguém consiga abrir!

Quem perde? Eu, você, a minha vida... Eu!

Não quero acostumar a temer, mas ao mesmo tempo eu me sinto numa zona de conforto – um conforto solitário algumas vezes, mas estou me sentindo espaçoso aqui e gelado. Entenda que eu enfatizo que estou procurando alguma forma de me livrar dessas trancas, mas não é assim tão fácil.

Escuto batidas e vozes, muitas vezes forçam a tal porta como que se fossem arrebentá-la... Coloco-me contra e faço um jogo de corpo, para pesar a porta assim não permitindo que de alguma forma algo fuja do meu controle.

Estou Cansando
Estou cansado de ter controle sobre essa porta!
Quero ser mais rebelde e despreocupado...
Não quero temer, não quero mais recear.


Eu Quero
Na verdade eu quero sim, quero mais do que nunca me sentir completo novamente. Poder viver por alguém sem perder o respeito e o carinho por mim pelo que eu construí.
Eu quero abrir a porta, você pode me ajudar?

Um comentário:

André disse...

A tal da zona de conforto, ao mesmo tempo que limita o sofrimento acaba por brecar a chance de viver coisas novas...