sexta-feira, 18 de maio de 2012

Tão forte/tão fraco!


Quem é você?! O que você quer dizer quando não você não pode ser assim "tão você"?
Você mente? Você omite ou até mesmo transforma-se no ser que você mais repudia? Você é capaz se colocar nas situações mais conflitantes e se fazer de omisso quando te convém?

Te pergunto: quem é você e quais os teus verdadeiros valores ou anseios?

Você sorri quando tem aquela vontade de sorrir ou demonstra emoção quando na verdade esta de saco cheio de servir de ombro para o teu semelhante?

Fico te analisando e cada vez fica mais perceptível que você gosta dessa situação de ser/parecer o bom ouvinte, a pessoa que esta ali para ajudar os outros a solucionar seus maiores medos e dificuldades - você aparenta ser forte, onipotente e generoso... Quando na verdade a real razão de você mover essas pedras do caminho de pessoas que acreditam em você é somente o teu orgulho.

Sim, você precisa disso quase como um alimento diário, essa é a forma de você mostrar a razão, a grandeza de ser e de ter a submissão de todos que te cercam.

Estranho? Por quê?

Isso faz parte de todo ser humano... Nós precisamos estar com holofotes sobre nossas ações para sermos avaliados e devidamente adorados - cabe a cada um (à escolha) saber de que modo irá ou não usufruir desse momento, assim como algo gratificante ao ponto de se sentir útil ao ajudar aqueles pelos quais se compadece ou sentir o seu ego inflar como um balão incandescente de festa junina.

Agora você... Você não se doa por completo, você teme se despir se deixar ser visto como realmente é... Prefere demonstrar sua autoridade e rispidez visível entre conversas paralelas - para que os teus outros saibam a intimidação que causa a tua onipresença. Exato, você esta em todo lugar aqui/ali, entre conversar paralelas (com um sorriso mórbido) tu consegues tirar de cada um a tua volta os "mexericos" mais inconvenientes e intrigantes.

Essas tuas fontes de informações de trazem tais "informações" por vários motivos aleatórios: medo, receio, cumplicidade e talvez (assim como você) por uma pitada de mau-caratismo.

Eu te dei por várias vezes muita corda e você visivelmente se enforcou.
Calma lá! Ao término desse texto eu te peço cautela... Não tome nenhuma atitude precipitada, pois quem poderá sofrer com as conseqüências, hoje serei EU, mas amanhã será você...

Vamos parar com esse joguinho de Senhor Feudal e deixar os ataques de superioridade de lado, as crises de "i'm the boss", os planos para fazer o outro de "FHU" sempre no final do dia...

Lembre-se de alguns tópicos:
  • Somos iguais.
  • O mundo não para de girar.
  • Hoje é você, amanhã...
#ficadica

terça-feira, 15 de maio de 2012

Como "fazer ser" quando não parece "ser"?

Ansioso!
Como "fazer ser" quando não parece "ser"? As coisas chegam até mim aos poucos, com uma deficiência de informações, e daí fica complicado sub-entender o que realmente pretendem/querem para com a minha pessoa. 


Estou tentando de todas formas cabíveis, relaxar e literalmente "gozar", mas de repente o mundo para de girar e eu me perco entre palavras/ações (olhos, toques, cheiros, arrepios, sussurros,etc)...

O interessantes é eu estar me permitindo "deixar acontecer", mesmo eu me frustrando na maioria das vezes, mas como tenho escutado, faz parte!

Sem expectativas Senhor Moraes, é o que te pedimos gentilmente - porque assim será melhor para todos/mesmo sabendo que viver sem expectativas é praticamente "amorfar" diante dos dias.


Por isso já vou logo avisando que sim, vou viver o hoje projetando minhas boas e novas energias no meu amanhã próximo!


Mas de que está valendo muito a pena aprender e "cair" - literalmente; por isso eu te digo que a hora é agora e com ou sem expectativas eu vou viver o meu melhor.


Ps. Será que o teu medo reflete em mim toda essa tua insegurança e por fraqueza eu me deixo cair em meio a esse teu desvio de olhar... Não me  fixo na hora, me fixo mais nas inquietas e sedentas mãos/bocas; ah, essas mãos que suam que não me perdem, se perdem... Será que será?!