segunda-feira, 29 de abril de 2013

Satirizando

A sátira perfeita sobre os dias que se perdem como areia entre os dedos.

A sátira perfeita sobre o que foi dito em silêncio, logo ficou o dito pelo não dito ou apenas intercalado.

A sátira imperfeita aonde sorrisos amarelados se abrem e olhos se fecham...

Assim sem querer...

A imperfeição desta "sátira" se perdeu em graça sem graça, e hoje apenas reverência a ausência sobre ausência.


Procurei os motivos e eles se perderam...

Assim entre os dedos!